domingo, 2 de fevereiro de 2014

Gírias, contrações, palavrões e expressões do inglês falado




Gírias, contrações, palavrões e expressões do inglês falado



Muita gente, apesar de morar no Brasil, insiste em só ouvir músicas de outro país, principalmente dos Estados Unidos. Na maioria das vezes, até vicia em algumas delas, porém nem faz ideia do que a letra significa.
Fonte: http://muitadica.com/girias-contracoes-palavroes-e-expressoes-do-ingles-falado/

Vários brasileiros afirmam, por exemplo, que odeiam funk, aquele estilo de música carioca, mas adoram hip-hop americano, que, em muitos casos, faz apologia às drogas, prostituição, crimes e briga de rua.
Se quiser descobrir o lixo cantado por esses rappers, confira a tradução de algumas músicas que tocavam direto nas rádios, comoLollipop (Lil' Wayne), Baby by me (50 cent), Sexy Bitch(Akon) e Ridin' (Chamillionaire).
Por isso, é interessante conhecer a letra daquela música que você vive ouvindo quase todo dia. O objetivo deste artigo não é criticar estilos musicais, mas mostrar que devemos estar mais atentos ao que ouvimos, pela análise da letra. A seguir, vamos mostrar expressões comuns, contrações e palavrões em inglês,  principalmente em letras de raps, porque são bastante comuns da fala do dia-a-dia.

Expressões comuns e contrações informais em inglês
yo: serve para chamar atenção de várias pessoas.
Ex.: Yo! Look at me! = Aí! Olha pra mim!


what upwhat's upwhassupwhazzup: é equivalente a "E aí", ou "Beleza?"
Ex.: What's up, guys = E aí, gente?
OBS: As formas whassupwhasupwhazupwhadupwhaddap, etc são usadas em chats e estão gramaticalmente incorretas.

damn: pode ser uma exclamação, como "Droga!"
Ex.: Damn. Where's my cell phone? = Caramba! Cadê meu celular?
OBS.: damn também pode ser o verbo danar, ferrar, amaldiçoar.
Ex.: Damn you. I never loved you. = Vá se ferrar. Eu nunca te amei.

goddamn ou god damn: é a mesma coisa da palavra anterior, mas com ênfase.  Não é bem vista, por ser considerada blasfêmia.
Ex.: Close this goddamn door! = Fecha essa maldita porta!

shawtygalchick, mama, mami, lil' mama: significa gata, gatinha, gatota em geral.
Ex.: Hey, chick, what are you up to? = Oi, gata. Que você tá fazendo?


boo: é usada pra se referir a alguém com amor, com muito carinho.
Ex.: I'm fallin' in love with you, my boo = Tô apaixonado por você, meu amor.



guydudeman: significa cara, rapaz, homem.
Ex.: Hey man. Where have you been? = Ei, cara. Onde você esteve?


y'allyou allyou'syou'seyou guysyou folks: formas populares de dizer "vocês".
Ex.: I'm already tired of y'all = Já tô cansado de vocês.
OBS.: Y'all é a contração de you all, é usada mais na região sul dos Estados Unidos, como no estado da Flórida.


e'rybodye'rythin'e'ryday, anythang, thang, sumtimez: são expressões usadas em letras de rap. Os rappers utilizam esse tipo de contração pra conseguir mais rimas ou melhorar a sonoridade das canções. Ou, mesmo, em alguns casos, só pelo prazer de escrever diferente mesmo.


ya: o mesmo que you, usado em frases bem informais e/ou pra melhorar a rima.
Ex.: I won't tell ya the truth yet = Ainda não vou te contar a verdade.


cha: Não é bem uma contração, mas um jeito estiloso de se escrever. Ocorre quando tem-se uma palavra terminada com "t" antes de ya.
Ex.: I want cha now = I want ya now = Eu te quero agora.
Ex.: Gotcha! = I got ya! = Entendi!
Ex.: I letcha go = I let ya go = Eu deixo você ir.


yo': A palavra lembra nosso primeiro exemplo, mas geralmente tem o som mais fechado. Nesse caso, é a contração de your.
Ex.: You'd never seen in yo' whole life = Você nunca viu em toda a sua vida.


cho: Assim como cha, é mais um jeito diferente de se escrever. Acontece quando tem-se uma palavra terminada com "t" antes de yo'.
Ex.: I want cho love = I want yo' love = I want your love = Quero seu amor


lemme: contração de let me.
Ex.: Please lemme at peace! = Por favor, me deixa em paz!

I'maI'mmaIma: é uma forma mais rápida de dizer I'm about to ou I'm going to. Usa-se quando você está prestes a fazer algo, um futuro imediato.
Ex.: I'ma sleep right now = Vou dormir agora mesmo
OBS.: É uma forma muito informal e nem pense em utilizar numa entrevista de emprego.
c'mon: é contração de come on. É como se fosse "vamos lá", "vambora".
Ex.: C'mon. Say what you feel = Vamos, diga o que sente.

gimme: contração de give me. Ou seja, "me dá", "me dê", "dê-me".
Ex.: Gimme the key = Me dá a chave.

outta: contração de out of. Isto é, "fora de".
Ex.: Get outta here, you sucker = Cai fora daqui, seu otário.


'em: também comum no inglês falado, é a contração de them.
Ex.: The blame is on 'em = A culpa é deles


'er: contração de her.
Ex.: I sent to 'er = Eu mandei pra ela.
'im: contração de him.
Ex.: I wanna win it before 'im = Quero vencer antes dele.

'fore: contração informe de before.
Ex.: I'll get there 'fore you = Vou chegar lá antes de você.

ain't: é uma contração multiuso, presente em quase toda letra de rap. Pode significar am notis notare not,have nothas notthere is notthere are not. Às vezes é seguida do advérbio de negação no, como forma de ênfase.
Ex.: I ain't got nothing to say = Não tenho nada a dizer.
Ex.: Ain't no person who's able = Não há ninguém capaz.
Ex.: They ain't nice with me = Eles não são legais comigo.
OBS.: possivelmente a palavra ain't é originada de amn't, que se trata de uma contração arcaica de am not. Com o tempo, o uso da gíria perdeu o controle e caiu no gosto popular.


gotta: contração de have (has) got to, ou mesmo, got to. Funciona como o verbo modal must, isto é, indica dever, necessidade.
Ex.: I gotta get outta here! = Tenho que sair daqui!
Ex.: He's gotta take my buck back = Ele tem que devolver minha grana.


gonnagunnagon': contração de going to. Indica futuro imediato e é normal na fala.
Ex.: I'm gonna buy that netbook = Vou comprar aquele netbook.
Ex.: Never gonna give you up = Nunca vou desistir de você.
Ex.: She gonna tell 'em the reason = Ela vai dizer a elas a razão.
OBS.: Às vezes, é omitido o verbo to be. A forma gon' é um jeito mais rápido de dizer gonna.


wanna: contração de want to ou want a. Comum também na fala e presente na letra de músicas.
Ex.: I wanna show you who I am = Eu quero te mostrar quem sou eu.
Ex.: In my birthday I wanna new computer = Em meu aniversário eu quero um novo computador.


tryna: contração de trying to. No sotaque americano, quando você pronuncia trying to bem rápido, soa comotryna. Isso não ocorre com o sotaque britânico, que é mais rígido.
Ex.: I'm tryna download that file = Tô tentando baixar aquele arquivo.
OBS.: Pode parecer estranho, mas é como no português, quando dizemos rápido "tentano" em vez de "tentando". Só que, diferentemente, de nossos hábitos, os rappers fazem questão de explicitar o jeito de se pronunciar uma palavra.


kinda: contração de kind of. Pode significar "um pouco" ou "tipo de".
Ex.: She's the kinda woman I need = Ela é o tipo de mulher que eu preciso.
Ex.: I'm kinda bored for now = Tô meio chateado agora.


sorta: contração de sort of. Mesmo significado de kinda.
Ex.: A sorta fairytale = Uma espécie de conto de fadas.



shouldacouldamighta, woulda: contração de should havecould havemight have e would have, respectivamente.
Ex.: You shoulda shown the results = Você deveria ter mostrado os resultados.
Ex.: Peter coulda been better at it = Peter poderia ter sido melhor nisso.


shouldnacouldnawouldna: contração de should have notcould have not e would have not, respectivamente.
Ex.: I shouldna done it = Eu não deveria ter feito isso.
OBS.: a contração mightna geralmente é associada a might not.


hadda: contração de had a ou had to.
Ex.: I hadda solve that issue. = Eu tinha que resolver aquele problema.
Ex.: I hadda feelin' for her but it's over. Eu tinha um sentimento por ela, mas acabou.


needa: contração de need to.
Ex.: Hey guys, I needa talk to you = Fala aí, gente. Preciso falar com vocês.



Papo firmeyeahyeayepyupya: expressões de confirmação ou felicidade. Pode significar "sim" ou "e!" no sentido de aprovação. Em português "sim" é usado em situações um pouco mais formais. Da mesma forma, em inglês, yes é usado pra enfatizar a educação, mostrar mais respeito. O yeah é mais comum na fala do dia-a-dia, sendo que yup é uma forma alternativa, mais recente.
Ex.: Do you like it? Yeah, for sure! = Você gosta? Sim, com certeza!
Ex.: You ready? Yeah = Tá pronto? Tô.
Ex.: This is awesome. Yeah, indeed = Isso é maravilhoso. É, de fato.


nopenah: expressões de negação, usadas mais no cotidiano e bem comuns em salas de bate-papo.
Ex.: Have you ever seen a ghost? Nope = Alguma vez você viu um fantasma? Nãooo.
Ex.: There was someone into the cemetery. Nah, bullshit = Tinha alguém no cemitério. Que nada, bobagem.


'causecuzcozcuscos: são contrações de because. Indica causa, razão, motivo.
Ex.: That happened 'cause the light was off = Aquilo aconteceu porque a luz 'tava apagada.
OBS.: O mais certo seria 'cause como contração de because. Mas, devido aos inúmeros sotaques e também por causa lei do esforço mínimo na fala e na escrita, acabaram criando as outras palavras.


'bout: contração de about.
Ex.: We 'bout to start a new song = Nós estamos quase começando um novo som.


'round: contração de around.
Ex.: We're present 'round the world = Nós estamos presentes ao redor do mundo.


an' ou simplesmente 'n': contração de and.
Ex.: Their shop have our CDs 'n' DVDs = A loja deles tem nossos CDs e DVDs.


lil': forma mais curta de little.
Ex.: What a lil' pet! Where does it come from? = Que animalzinho! De onde veio?


pho sho: é uma forma excêntrica de se escrever for sure. Quer dizer, "com certeza".
Ex.: I'll be there pho sho = Vou estar lá sem dúvidas.


da (tha), datdis: jeitos alternativos de se escrever thethat this, respectivamente.
Ex.: She's in da club = Ele está no clube.
Ex.: Dat car is amazing = Aquele carro é da hora.


thuggangsta: significa bandido, canalha, assassino. Mas, no mundo do rap, significa rapper, cara que é maneiro, que arrasa, que sai com um monte de mulheres.
Ex.: Just 'cause I'm the thug? = Só por que sou o cara?



Palavrões e palavras ofensivas
palavrãonigga: gíria que se refere a uma pessoa negra, sendo que só pode ser pronunciada por pessoas também negras, senão é considerado preconceito racial. Pode significar "cara", "amigo", "camarada" ou homem em geral.
Ex.: Hey niggas, how you doin'? = E aí, caras, beleza?
Ex.: Those niggas are fucking with me = Aqueles caras estão me sacaneando.
OBS.: Se uma pessoa que não é negra pronunciar essa palavra em ambiente público, é vista com muita hostilidade. Existe ainda a palavra nigger, que tem um caráter mais ofensivo. Ambas são conhecidas como The N-Word para evitar dizer a palavra original.


bastardstupidassholeidiotdumbass: Os equivalentes em português são: imbecil, estúpido, babaca, idiota e burro, respectivamente. Ou seja, são palavras usadas para ofender alguém.
Ex.: You stupid. Take your hands outta here = Seu estúpido, tire as mãos daqui.


shit: merda. Pode se referir a fezes, propriamente ditas, ou pode querer dizer espanto, raiva, admiração, desapontamento.
Ex.: Shit. He's gone = Merda. Ele se foi.


bullshit: a palavra é equivalente a "conversa fiada", "mentira", "história pra boi dormir".
Ex.: Stop saying this bullshit = Para com essa mentira.


fagfaggot: significa "gay", "boiola", "viado", "bicha", "homossexual".
Ex.: You're just a fag = Você é simplesmente gay.


bitchwhorehoe: mulher que sai com vários homens; vadia.
Ex.: Keep away from my husband, you bitch! = Fique longe do meu marido, vagabunda!


ass: bunda.
dickstickcock: apelidos para o órgão sexual masculino.
pussycunt: apelidos para o órgão sexual feminino.
blowjob: apelido para sexo oral; boquete.
fuck: o verbo to fuck é multiuso. Quando a palavra está isolada (interjeição), indica raiva, ira, desapontamento, tédio, desgosto; ou, paradoxalmente, até alegria. Usada como verbo, significa ferrar, danar, destruir, acabar, prejudicar.

the fuck: quando usado após um pronome interrogativo, serve para enfatizar a frase.
Ex.: What the fuck is it? = Que merda é essa?
Ex.: Who the fuck are you = Quem é você, cacete?
Ex.: Where the fuck I put my copybook? = Onde será que larguei meu caderno?

fucking: quando usado antes de um adjetivo, significa "muito", "à beça".
Ex.: Wow. She's fucking hot = Ela é gostosa pra caramba.
OBS: às vezes se diz motherfucking em vez de fucking, pra enfatizar.

fuck off: o mesmo que get off, porém trata-se de um palavrão. Usado quando se quer que alguém ou alguma coisa saia daquele local.
Ex.: Fuck off, bastard! = Cai fora, imbecil!

fucking hell: expressão exclamativa equivalente a "p*ta que pariu".

fuckermotherfuckermofoson of a bitch: expressão depreciativa. Algo como desgraçado, animal, filho da p*ta.
OBS: motherfucker é bastante ofensivo, pois, numa tradução literal, é como se dissesse que alguém transa com a própria mãe.
------------------------------------------------------------------------------

Ufa! Quanta palavra, não é mesmo? Como eu tinha dito antes, alguma das contrações são usadas mais como estilo ou até pra que o rapper consiga obter um ritmo mais bacana.
I want youOutras palavras, não estão presentes só em letra de músicas, mas também na fala, no cotidiano das pessoas, como forma de se expressar mais rápido. Porém, é essencial evitar expressões populares em situações formais, principalmente palavras de baixo calão.
Se quiser aprender mais sobre contrações informais e expressões típicas do inglês, acompanhe a letra de músicas. Eu recomendo o siteVagalume.com.br.
Sempre que tiver dúvida em uma expressão nova, consulte o Urban Dictionary e o Wiktionary. Lá você encontra quase toda gíria que imaginar.

quarta-feira, 12 de junho de 2013

domingo, 6 de janeiro de 2013

@HelcioM - New age 2013 . - Free Step.

O Cara se garante no Free Step

O que você precisa para aprender uma língua estrangeira? As interferências no aprendizado de línguas...


O que você precisa para aprender uma língua estrangeira? As interferências no aprendizado de línguas...



É surpreendente o contraste entre a facilidade com que uma pessoa aprende uma língua estrangeira e a quase impossibilidade que uma outra pessoa encontra diante desta mesma tarefa. Maior ou menor facilidade para línguas pode ser causada por diversos fatores. Veja exemplos abaixo:
Idade: Por razões de ordens biológicas e psicológicas depreende-se que quanto mais cedo se iniciar esses estudos, melhor e mais rápida é a aprendizagem de uma língua estrangeira. O ritmo de assimilação das crianças é muito mais rápido.
Formação Lingüística: Quanto maior o grau de semelhança que a língua materna possui com a língua que está sendo estudada, mais fácil se torna essa aprendizagem. Por exemplo: alemães, holandeses, suecos e até mesmo os brasileiros, possuem mais facilidade para aprender o inglês do que, por exemplo, os japoneses ou chineses.
Versatilidade lingüística: Muitas vezes, a língua estudada é a terceira língua do indivíduo. Isto também é muito importante. Os monolíngües demonstram uma forte dependência em relação à sua língua materna para estruturarem seu pensamento, ao passo que os bilíngües são mais versáteis mentalmente, pois já estiveram expostos à situação de aprender uma nova língua. Esta versatilidade lingüística vem acompanhada por uma versatilidade cultural, o que também facilita a identificação com a cultura alvo.
Acuidade Auditiva: A língua é um fenômeno essencialmente oral e, considerando-se que o aparelho articulatório de sons do ser humano (cordas vocais, cavidade bucal, língua,...) mostra-se extremamente limitado quando comparado ao universo lingüístico criado por sua mente, deduz-se facilmente a importância que diferenças fonéticas íntimas vêm a ter. Não só a percepção, mas também a articulação de sons dependem diretamente do aparelho auditivo, uma vez que o ouvido funciona como uma espécie de monitor da fala. Sabemos também que a capacidade auditiva pode variar consideravelmente de uma pessoa para outra. Quem não tem boa audição, portanto, leva desvantagem, da mesma forma que uma pessoa de baixa estatura estaria em desvantagem para se tornar um bom jogador de basquete.

Vença a timidez e se expresse em língua estrangeira sempre que puder.
Esse exercício constante fixa vocabulário, entonação, concordância
nominal e verbal e gera maior desinibição.
Características de personalidade: Fatores de ordem psicológico-afetiva podem causar impacto direto na capacidade de aprendizado, influindo tanto positivamente como negativamente. Pessoas introvertidas e reservadas normalmente mostram um ritmo de assimilação mais lento, principalmente na produção oral, pelo simples fato de se exporem menos e evitarem muitas das oportunidades de comunicação com que se defrontam quando em ambientes da língua estrangeira. Os principais fatores que atuam como filtros dificultadores da assimilação são:
  • Perfeccionismo: tendência de se preocupar excessivamente com a forma; idéia radicalizada do conceito de certo e errado em se tratando de línguas. A pessoa não se sente confortável na incerteza e prefere não correr riscos de cometer deslizes.
  • Falta de autoconfiança: baixa auto-estima, talvez causada por traumas durante a educação recebida em casa ou na escola, pode produzir carência de autoconfiança que inibe a iniciativa criativa, elemento essencial no aprendizado de línguas.
  • Dependência da eloqüência: A precisão e elegância no falar é uma conquista alcançada ao longo da vida, fruto de uma carreira acadêmica. Essa habilidade com nossa língua materna representa segurança e poder, dos quais é difícil abrir mão. Isso torna a tarefa de começar de novo na língua estrangeira, do quase nada, aos tropeços, de forma rudimentar, como se pouco inteligentes fôssemos, o que pode ser extremamente frustrante.
  • Autoconsciência: consciência da própria imagem; preocupação excessiva com o que os outros podem pensar de si.
  • Ansiedade: causada pela expectativa excessiva de obtenção de resultados. A atitude ideal face ao desafio de se assimilar uma língua estrangeira, é a de perseverança e continuidade.
  • Provincianismo: apego excessivo à identidade lingüística e cultural; forma extrema de monocultura. Atitude de se fechar naquilo com que se identifica, seu jeito de ser e de falar; de se sentir inseguro fora deles - problema freqüentemente observado em adolescentes.
Por outro lado, auto-estima e autoconfiança, desinibição, criatividade (habilidade de improvisação), tolerância consigo próprio, empatia, curiosidade e perseverança são características positivas.

Exercite sua memória na nova língua sempre que puder.
Memória: a capacidade de reter e relembrar informações e experiências é sem dúvida uma habilidade mental que influi no aprendizado de línguas. O grau de capacidade de memória de cada um pode depender de fatores biológicos e psicológicos, mas vai depender muito também de fatores externos. Pesquisas sobre a fixação e a retenção das lembranças permitem determinar que retemos bem aquelas experiências nas quais tivemos participação direta. Ao contrário, esquecemo-nos com facilidade o que é neutro, mal estruturado e pouco significativo.   Assim como a química é mais facilmente aprendida em laboratório do que na sala de aula, também as formas (palavras, expressões) da língua estrangeira ficarão mais facilmente retidas na memória se aprendidas em situações reais de comunicação, em vez de num ambiente descontextualizado de uma sala de aula.
Disponibilidade mental: O grau de disponibilidade mental da pessoa para com a língua estrangeira é inversamente proporcional ao número e ao peso das preocupações de ordem familiar, profissional e financeira com que a pessoa vive. Quanto menor a disponibilidade mental, tanto menor a capacidade de memória e o ritmo de assimilação.
Motivação: A motivação é uma força interior propulsora, de importância decisiva. Assim como aprendizado em geral, o ato de se aprender línguas é ativo e não passivo. Não se trata de se submeter a um tratamento, mas sim de construir uma habilidade. Não é o professor que ensina nem o método que funciona; é o aluno que aprende. Por isso, a motivação do aprendiz no aprendizado de línguas é um elemento chave. Experiências anteriores de resultados negativos, podem desencorajar o aluno de uma nova tentativa. Também aquele que não se identifica com a cultura estrangeira, - ou que às vezes até a despreza, - normalmente por falta de informação a respeito da mesma, estará desmotivado a aprender sua língua.

Estude com afinco. Dedique-se a leituras na nova língua.
Essas atividades irão lhe conceder fluência no falar e
também no raciocínio em língua estrangeira.
Independência: O pleno desenvolvimento da competência na língua estrangeira ocorre quando o aprendiz, além de ser movido por um interesse ou necessidade pessoal, assume o controle de si mesmo neste processo, adquire consciência de suas habilidades e de suas limitações, e desenvolve uma estratégia que consegue tirar vantagem de suas habilidades e compensar suas deficiências. Portanto, independência em relação a professores e programas é, no plano psicológico, um elemento fundamental.
Tempo de dedicação e grau de envolvimento: Logicamente, quanto mais tempo for dedicado ao contato com a língua estrangeira, tanto maior será o grau de assimilação. Não só o tempo de contato, entretanto, mas também o grau de envolvimento afetivo e psicológico, por ocasião do contato, terão influência decisiva. Por exemplo, se o contato for com a língua falada, se o aluno estiver conversando com algum estrangeiro, quanto maior o envolvimento afetivo com essa pessoa, ou quanto maior o grau de interesse ou de importância da conversa, tanto melhor a assimilação. Se o contato for com texto escrito, se o aluno estiver tentando ler um texto em inglês, quanto maior for o interesse do aluno pelo assunto, tanto maior sua assimilação.
Desta forma, podemos concluir que programas de ensino de línguas serão mais eficazes se oferecerem ambientes autênticos que estimulem a motivação e serão menos eficazes se predeterminarem o mesmo ritmo para todos. Devem levar em consideração diferenças individuais, permitindo que cada um construa seu desenvolvimento de acordo com seu talento, motivação e disponibilidade. Ou seja, devem saber explorar o talento dos mais rápidos, bem como respeitar o ritmo de assimilação daqueles que precisam de mais tempo para o aprendizado.

JOAO BATISTA.-RAMONES